Com  objetivo  detectar  qualitativamente  e  quantitativamente  os componentes  com  desgaste  excessivo  no equipamento, a análise de óleo lubrificante permite a identificação de uma falha no seu início minimizando os custos de manutenção associados com trocas desnecessárias de óleo, mão de obra, reparos e paradas não programadas
A  análise de óleo  lubrificante pode prever, na maioria das vezes, o  inicio de um processo anormal de desgaste, demonstrando ser uma ferramenta indispensável na prevenção de avarias em componentes de sistemas lubrificados.

POR QUE ANALISAR O ÓLEO LUBRIFICANTE?

A prevenção é muito mais barata que a correção. O monitoramento da condição do óleo possibilita o diagnóstico de problemas relacionados tanto ao óleo quanto ao equipamento. Isto permite reparar o equipamento antes que o mesmo falhe repentinamente produzindo transtornos e prejuízos. Oferecemos uma gama de ensaios físico-químicos, espectrometria de metais e contagem de partículas,  que garantem uma ótima avaliação das condições do óleo lubrificante e das condições de operação dos seus equipamentos.

ANÁLISES REALIZADAS 

ESPECTROMETRIA DE METAIS

Possui uma aplicação ampla, tanto no controle do lubrificante como no monitoramento preditivo da máquina em si. São monitorados 19 elementos metálicos :  (Fe, Cr, Pb, Cu, Sn, Al, Ni, Ag, Si, B, Na, Mg, Ca, Ba, P, Zn, Mo, Ti e V) que estão relacionados ao desgaste, aditivação e contaminação do lubrificante.

CONTAGEM DE PARTÍCULAS

É uma das formas mais tradicionais para avaliação do grau de contaminação sólida em sistemas hidráulicos. Possui a vantagem de fornecer resultados em unidades tradicionais e conhecidas, porém não permite a identificação da causa raiz.
Esse serviço é especificado com base em critérios adotados pela ISO 4406, a NAS 1638 e a ARP 598 (Aerospace Recommended Practice) por conta de seu trabalho na área aeronáutica. São métodos bastante similares onde a contagem é realizada manualmente em membrana de 0,45µm ou 0,8µm sob a luz de microscópio óptico. Para casos simples, empregam-se métodos automáticos.

análises FÍSICO-QUÍMICaS

As análises físico-químicas destinam-se à verificação das propriedades mais importantes do lubrificante como forma de garantir o cumprimento de sua tarefa mais importante: A minimização do desgaste.

São exemplos destas análises: Viscosidade cinemática, número de acidez ou basicidade, teor de água, espuma, demulsibilidade, cor, aparência dentre outras.

Principais Vantagens da realização da análise de óleo lubrificante

  • Menor custo de manutenção;
  • Economia de lubrificantes: a troca do óleo pode ser feita com base nos resultados de análises;
  • Vida útil dos componentes ampliada;
  • Redução dos custos de material de reposição;
  • Evita parada inesperada e avarias de proporções catastróficas (na maioria dos casos);
  • Manutenção com melhor qualidade;
  • Controle e análise do desgaste de equipamentos;
  • Otimização da produção.

 

 

 

 

 

­